terça-feira, 13 de julho de 2010

S.O.S PERNAMBUCO

As chuvas que atingiram Pernambuco nas últimas semanas deixaram um cenário de tragédia e desespero. Os números divulgados só não assustam mais que as próprias imagens do fato. Para amenizar a situação das vítimas e colaborar na corrente de solidariedade que tem ganhado força por todo o estado, o Tribunal Solidário realiza campanha de ajuda aos desalojados e desabrigados das enchentes.

Foi aberta uma conta corrente exclusiva para arrecadar doações em dinheiro. Os valores devem ser depositados com os seguintes campos:

Banco Real

Agência: 1016

Conta corrente: 6023076-2

Outros donativos como alimentos não-perecíveis, água mineral, colchões, cobertores e materiais de limpeza podem ser doados no térreo do edifício Dom Helder Câmara, sede do Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco, localizado na Rua da Aurora, nº 885, Boa Vista - Recife.

Até 09 de julho, o Tribunal Solidário vai divulgar a primeira prestação de contas dos valores doados e o destino do mesmo, aqui, no nosso site.

Todos por Pernambuco

O caos foi instalado em diversas regiões do estado, e já se calcula 20 mortes, segundo balanço divulgado pela Codecipe até o meio-dia de segunda-feira (28). Foi na Zona da Mata Sul que os principais estragos foram causados, deixando um verdadeiro cenário de guerra. Casas destruídas, pertences carregados para quilômetros de distância pelas correntezas e a difícil realidade de reerguer o trabalho de anos de luta.

Especialistas afirmam que os estragos são resultados da ocupação indevida das zonas ribeirinhas dos rios, além do consequente desmatamento para essas construções irregulares. Também, o fator meteorológico contribuiu para o ocorrido, uma vez que a pluviosidade durante o período foi entre 300 e 400 milímetros, praticamente, a média total de chuva no mês de junho em Pernambuco.

A vazão normal de rios como o Una, que nasce na região de Agrestina e corta o estado até a Zona da Mata Sul é de 50 metros cúbicos de água por segundo. No entanto, ele recebeu aproximadamente mil metros cúbicos de água por segundo no ponto máximo das cheias. O Rio Una corta cidades como Água Preta, Palmares e Barreiros. A situação foi a mesma com os rios Paraíba, Canhoto e Mundaú, que nascem na região de Garanhuns e descem para o estado de Alagoas (motivo das tragédias no estado vizinho).

Várias iniciativas estão sendo realizadas para ajudar as vítimas. A Inglaterra enviou 500 barracas para servir de alojamento e devem chegar terça-feira (29), o governo federal vai antecipar o bolsa família e já depositou R$ 75 milhões emergenciais para Pernambuco. Para reconstruir os acessos (pontes, estradas e pavimentação urbana) o governo federal promete enviar R$ 200 milhões. O governo do estado vai antecipar o 13º salário de servidores afetados nos doze municípios em estado de calamidade pública. Veja mais informações segundo balanço da Codecipe (Coordenadoria de Defesa Civil de Pernambuco):

Mortes: 20

Desabrigados: 26.966

Desalojados: 55.643

Cidades em estado de calamidade pública: (12) Água Preta, Barra de Guabiraba, Barreiros, Correntes, Cortês, Jaqueira, Palmares, São Benedito do Sul, Vitória de Santo Antão, Primavera, Catende e Maraial.

Cidades em estado de emergência: (27) Agrestina, Altinho, Amaraji, Belém de Maria, Bezerros, Bom Conselho, Bonito, Cabo de Santo Agostinho, Camaragibe, Chã Grande, Escada, Gameleira, Gravatá, Ipojuca, Jaboatão dos Guararapes, Joaquim Nabuco, Moreno, Nazaré da Mata, Palmeirina, Pombos, Quipapá, Ribeirão, São Joaquim do Monte, Sirinhaém, Tamandaré, Vicência e Xéxeu.

Imagem: pe360graus

Publicado em 28 de junho de 2010

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário